Para os povos de terreiro, o Unjé (alimentar-se) é o ponto alto nas mais diversas variações de formas que essa cultura pode configurar. O unjéun ou ajeun (comida) se organiza em uma tríade: preparo – alimentação – signagem. De modo que o contato com a culinária de terreiro ultrapassa potencialmente as fronteiras da gastronomia e oferta uma experiência artística, semiótica e filosófica.


Este projeto foi contemplado no Edital 008/2019 Folclore – Criatividade Cultural pela Cidade da Fundação Cultural de Curitiba e prevê uma representação lúdica do Olubajé (o banquete) aberta ao público.