A hierarquia entre saberes e mídias proposta pelos processos vividos em meio a diáspora africana no Brasil ocasiona a deslegitimação da cultura de terreiro e toda sua complexidade sígnica, comprometendo o conhecimento e reconhecimento desta parcela cultural do povo brasileiro. Buscando reconhecer e valorizar os saberes e as formas de expressão da cultura de terreiro inscritas nos corpos dos agentes de terreiro, e promover espaços de difusão, formação e discussão sobre estes saberes e a pesquisa, realizamos o Seminário Pesquisa em Comunidades de Terreiro e o Mini-curso Ilu Orin IJo. O seminário Pesquisa em Comunidades de Terreiro propõe um diálogo entre a equipe de pesquisadores e consultores do projeto O CORPO COMO RECURSO/AGENTE/VEÍCULO DE MEMÓRIA, MANUTENÇÃO E PERMANÊNCIA DA CULTURA DE TERREIRO e outros agentes da pesquisa e cultura de terreiro convidados, sobre a realidade e os desafios da pesquisa e permanência da cultura de terreiro na atualidade.


O mini-curso Ilu Orin IJo – Meios de ensino/aprendizagem e partilhas de informações no Candomblé, é uma abordagem teórico-prática que traz o corpo que percurssiona, canta e dança como meio de conhecimento, informação, produção e significação dos objetos da cultura afro-brasileira.